Adília Lopes (1960 - ), portuguesa, é poesita, cronista, tradutora. É o pseudónimo literário de Maria José da Silva Viana Fidalgo de Oliveira.

 

Atrás de uma poesia aparentemente naiff, percebemos seu humor, ironia, candura, e inteligência. Ela diz que "há sempre uma grande carga de violência, de dor, de seriedade e de santidade naquilo que escrevo". 

 

Escrever um poema

é como apanhar um peixe

com as mãos

nunca pesquei assim um peixe

mas posso falar assim

sei que nem tudo o que vem às mãos

é peixe

o peixe debate-se

tenta escapar-se

escapa-se

eu persisto

luto corpo a corpo

com o peixe

ou morremos os dois

ou nos salvamos os dois

tenho de estar atenta

tenho medo de não chegar ao fim

é uma questão de vida ou de morte

quando chego ao fim

descubro que precisei de apanhar o peixe

para me livrar do peixe

livro-me do peixe com o alívio

que não sei dizer.