Augusto de Campos (1931 - ), brasileiro, é um poeta e tradutor, ensaísta, crítico de literatura e música.

 

Ler o texto ‘Poesia Concreta: um manifesto’ é entender o artista que recusa “absorver as palavras com meros veículos indiferentes” e que vê a palavra como um campo magnético de possibilidades ou como

 

um objeto dinâmico,

uma célula viva,

um organismo completo,

com propriedades psicofisicoquímicas

tacto

antenas

circulação

coraação:

viva.

 

(link para o site oficial do artista)​